Viver no momento presente pode nos ajudar a não ultrapassar nossos limites

por Aurea Afonso Caetano

Conhece-te a ti mesmo” e ” Nada em excesso” são duas máximas do oráculo de Apolo em Delfos, Grécia. Acredito que elas podem nos inspirar na procura por comportamentos que que nos ajudem a ter uma vida melhor. 

Explico: a primeira máxima fala da necessidade de estar conectados com o que seria nossa verdade mais profunda, de procurar conhecer nossos reais desejos e necessidades, o caminho possível para cada um de nós. Então, a possibilidade de alcançar um profundo conhecimento do que seríamos em nossa essência pode nos ajudar no dia a dia a discriminar melhor porque ou para que estamos fazendo determinado movimento, onde queremos de fato chegar, para onde e por onde caminhamos.

A partir daí, nossos atos estarão cada vez mais alinhados com o real em nós e todo e qualquer comportamento que brotar desse movimento será mais adequado e melhor tanto para nós quanto para o mundo no qual vivemos.

A outra máxima – nada em excesso – fala da importância de não ultrapassarmos nossa própria medida – o métron, para os gregos. Cuidar para que nossas atitudes e comportamentos estejam de acordo com o nosso real tamanho nos possibilita uma vida muito mais simples e condizente com o que de fato posso ou consigo ter ou, por assim dizer, bancar. Ultrapassar o métron é entrar em hybris, é sair por aí atuando no mundo como se não houvessem limites, é não perceber que todo e qualquer comportamento provoca modificações no curso da vida. Se pudermos estar mais atentos a isso poderemos cuidar de levar uma vida mais justa e assim não entrar em sofrimentos desnecessários ou não prejudicar os outros por conta de nossos excessos. 

Reside aqui, no entanto, um grande perigo: o da acomodação. Quantas vezes o nada em excesso é confundido com uma postura adequada socialmente, que nos mantêm de certa maneira confortáveis, mas muito aquém do que seria a nossa real medida. 

Vivemos constantemente buscando nosso caminho ideal, tentando dar conta de não cair no excesso mas também não na acomodação. Questão difícil, essa, não?

Para terminar fico com uma frase do Sermão da Montanha: “A cada dia basta o seu cuidado”. Se pudermos estar inteiros cuidando do aqui e agora então estaremos vivendo de forma plena a cada momento. Se pudermos garantir a nossa vida no presente que é o único momento em que temos de fato a possibilidade de agir então tudo estará certo. 

“Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado”.

Resumindo: viver no aqui e agora, cuidar de cada momento a partir do conhecimento daquilo que é minha mais profunda verdade. Não ultrapassar minha medida, fazer aquilo que é possível para mim, ser justo e honesto. Isto fará com que minha vida e a de todos os que me cercam seja muito melhor. 

fonte : http://www2.uol.com.br/vyaestelar/psicologiajunguiana.htm

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Espírito, Mente. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s