Relacionamentos Interpessoais

O relacionamento interpessoal é a interação de duas ou mais pessoas e está ligado intimamente com a forma como que cada uma percebe, sente e age perante a outra.

O relacionamento entre as pessoas é a mais primitiva forma de convivência e de comunicação, no entanto, apesar dessas duas características terem evoluído ao longo da existência da espécie humana, o relacionamento interpessoal ainda encontra muitas dificuldades que tornam a vida do ser humano mais difícil, parecendo muitas vezes, estar andando no sentido contrário da evolução.

Simples aspectos de um tratamento como um bom dia, um obrigado, ou ainda um mero sorriso para muitas pessoas é difícil por em prática. E são justamente essas pessoas que mais falam em “exigir respeito”, sem, muitas vezes lembrar que respeito é conquistado. Como se conquista respeito? Se dando!

A mais simples forma de se exigir respeito, é se dando, eis que ao se tratar bem uma pessoa, sendo gentil, cordial e sincero, dispensando um tratamento além daquele que se está acostumado a receber, certamente, daquele indivíduo do qual está recebendo gentileza e cordialidade de forma sincera, certamente não mais será necessário “exigir” o respeito, pois ele sem sombra de dúvidas o dará! Quem sabe, além disso, usará do exemplo obtido para também assim tratar as outras pessoas com as quais se relaciona.

Para se poder tratar bem alguém, inicialmente vale mencionar algumas situações, como por exemplo: A pessoa não deve se expor, falando muito em si, tentando passar informações sobre si, pois assim, estará agindo como o centro das atenções, deixando passar uma impressão de que é o melhor, no entanto, sendo humilde, educado, ponderado e sabendo ouvir que é umas das maiores virtudes que se possa ter, certamente todas as características pessoais serão interpretadas pela outra pessoa sem que se diga uma palavra a esse respeito.

Deve-se agir de forma não interessada em passar para os outros que o que se faz custa um enorme esforço, pois isso é constatado por quem está próximo. Falando sobre os feitos e as conquistas, pode custar a falta de respeito, pois isso leva o ouvinte a interpretar que se pretende deixá-lo em uma condição inferior, por não ter as mesmas ações, assim, interessante que se as enumere rápida e cautelosamente, se for questionado.

Elogiar com sinceridade e economizar as críticas são fatores determinantes também, pois é natural do ser humano, gostar de ser reconhecido em suas atitudes, no entanto, sabe o que é certo e errado, e não gosta de ficar ouvindo sobre seus erros, pois a resposta logo vem “errar é humano!” E não é se fazendo lembrar de erros que se terá um bom relacionamento, pelo contrário.

Saber tratar cada pessoa da forma que ela mais gosta. Cada um tem um estilo, um comportamento, uma forma de ser tratado. Dessa maneira, já se constata que não é possível se tratar todos da mesma forma, sendo necessário entender a característica de cada um, para então poder lhe tratar melhor, e o resultado disso é surpreendente, pois se obtém um tratamento esplendoroso, mesmo de quem não sabe tratar bem.

Um fator de elevada importância, igualmente, é o nome das pessoas, portanto, saber e usar no tratamento é necessário e adequado. De que vale um bom tratamento, sem que se possa chamar alguém pelo seu próprio nome? Isso faz parte do bom relacionamento, seja ele profissional, amistoso, eventual, ocasional.

Deve-se ter a sensibilidade para se perceber a hora para determinados comportamentos, para não agir equivocadamente com intimidade ou com excesso de formalidade, afinal de contas, ninguém gosta de ser tratado de uma forma ou de outra senão o for adequadamente.

Reconhecendo erros, evita que alguém o faça. Tentando esquivar-se do erro que cometeu é a forma mais forte de dar-lhes cada vez mais ênfase. Muito mais sincero e adequado lembrar dos erros, antes que alguém o faça, e pedir as desculpas no momento certo, reconhecendo e propondo-se a não mais cometê-los fará com que eles passem totalmente despercebidos.

O carinho com os que menos esperam é fundamental. As pessoas que mais são duras e carrancudas e menos educadas, são as que mais precisam de carinho, pois o são porque nunca ou pouco receberam. A razão de uma pessoa não por em prática determinada ação, na maioria das vezes é por desconhecimento, sendo isso exatamente o que fundamenta a falta de educação daquele que não a recebeu. Portanto, saber constatar e tratar essa pessoa com a educação que ela não oferece, certamente ecoará aos ouvidos dela, que certamente estará recebendo uma grande contribuição, pois se ela não teve, está tendo por quem a trata bem, sutilmente.

O respeito pelos mais velhos é a coisa que todo pai ensina ao seu filho, mas que este logo esquece, ou melhor, tenta esquecer, isso porque se preocupa muito mais em saber quais os seus direitos e em “exigir respeito”! Respeitar os mais velhos é uma das grandes ações comportamentais de um ser, pois se está demonstrando inconscientemente uma boa formação familiar e respeitando quem chegou primeiro e, além disso, e sobre tudo, se dando aquilo que muitos esquecem de dar: “ao respeito”.

Uma das grandes ferramentas de um bom relacionamento, também, é o sorriso, pois ele, quando usado de forma sincera e oportuna, pode dizer mais que mil palavras, pois o corpo fala! A expressão corporal é muito maior que a expressão verbal. Deixar o sorriso fluir é ser transparente em seus sentimentos, e assim, sem sombra de dúvidas se está reconhecendo o esforço do próximo em lhe tratar bem.

Antes de criticar ou reclamar de alguém, deve-se fazer uma auto-análise, tentando identificar qual a própria atitude que levou esse alguém a agir dessa ou daquela forma. Assim, tentando identificar qual o próprio erro, irá facilitar a boa atitude de alguém para que ele mesmo reconheça o que fez e que faça o que acha certo fazer, reconhecendo e se desculpando, enquanto que as acusações geram apenas dissabores, sem que nada se mude.

Para se ter um bom relacionamento, necessário que uma das pessoas desse relacionamento tenha conhecimento sobre a melhor forma de se tratar alguém para poder proporcionar a ocorrência desde uma agradável conversa até uma eterna convivência e se mesmo tendo conhecimento sobre as formas de se ter um bom relacionamento interpessoal e não se colocar em prática, muito fácil torna-se imaginar que muito menos que não tem tal sabedoria, não o fará! Assim, deixará a conversa de ser agradável e a convivência de ser eterna!

Assim, não basta saber como se faz para se extrair do próximo um respeito, um bom tratamento, uma educação, uma cordialidade, pois interessante que se coloque antes em prática, pois assim se está efetivamente agindo com todas essas características e extraindo do próximo, senão imediato, mas ao longo do tempo, a mesma forma de tratamento.

É por essa razão que se diz que o mundo é dos humildes, pois todo aquele que se diz avantajado e que pensa que é superior ao outro, é justamente quem mais sofre, por não receber esse tratamento, ao menos sincero, pois não o pratica. Todas as boas ações de uma pessoa, certamente lhe rendem também boas ações. Não existe espaço para quem pretende “exigir respeito”, mas existe muito respeito para quem o dá! E a razão para a existência de um bom relacionamento interpessoal é a prática desses elementos por quem tem conhecimento sobre o que aqui está escrito, pois quem não tem, não o usará, terminando uma conversa em uma situação desagradável, uma amizade em ódio, que sempre ao contrário de se resolver uma situação, se cria outro problema.

A experiência do bom tratamento é fantástica! Tratando bem as pessoas que estão ao redor faz com que o meio se torne mais agradável e que situações jamais esperadas aconteçam especialmente com quem está acostumado a tratamentos mais hostis. Dar um bom dia com ênfase a alguém que não o recebe há meses ou anos, pode-se até não se obter uma resposta no primeiro dia, no entanto ao passar do tempo, facilmente se constata que aquele indivíduo passou a agir da mesma forma, que além de passar a responder, passou também a desejar um bom dia com ênfase aos seus.

Dispensar atenção àqueles que não a tem, seja por uma situação profissional, por estar nos bastidores, por estar em uma posição que ninguém lhe reconheça pode render frutos tanto para quem está sendo bem tratado como para quem está dando a referida atenção, que jamais serão esquecidos.

Afinal, quem não gosta de ser bem tratado? Assim, partindo dessa premissa pode-se ter certeza de que mesmo quem não age dessa forma, prima pelo bom tratamento.

Fazendo uma experiência, pedindo licença, reconhecendo as boas atitudes com elogios sinceros, agindo com indiferença com os desvios de comportamentos, agindo com educação com os deseducados, com elegância os deselegantes, com gentileza e cordialidades com àqueles que não o são gentis e cordiais, pode nos primeiros momentos não surtir efeitos, no entanto a reiteração dessa prática fará com que o deseducado passe a ter um pouco mais de educação, que o deselegante passe a ser elegante, gentil e cordial, isso porque quando se convive se aprende e pode ser que não seja dito, mas certamente aquele que assim agir será reconhecido como quem leciona boas maneiras e detentor do maior respeito.

É imprescindível colocar-se no lugar do outro, entendendo-o para melhor lhe tratar.

O relacionamento interpessoal, muitas vezes é usado e praticado apenas no trabalho, no entanto, ele está presente em todos os momentos de uma vida, seja com amizade, com cônjuge, com filhos, pais, enfim, com qualquer pessoa que se estabeleça um contato, seja até por meios digitais.

É importante também se ter a sensibilidade e a capacidade de entender aos próprios sentimentos, emoções, auto estima, percepções, pois assim poderá de forma mais fácil, se entender os sentimentos do outro, podendo, com isso, dispor de uma melhor forma de tratamento, pois cada situação exige uma forma de tratar. A arte de bem relacionar-se é a mesma de gerir os sentimentos dos outros e para isso, deve-se ter autocontrole e empatia. Autocontrole para saber encarar cada situação com a necessária ação e empatia para, se colocando no lugar do outro, oferecer exatamente o que se espera receber.

Assim diz Albert Einstein – “A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original”

O respeito não custa nada para quem dá e vale muito para quem recebe!

Dale Carnegie em seu livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas” apresenta princípios fundamentais para o desenvolvimento de um bom relacionamento interpessoal:

  • Mostre interesse pelas outras pessoas;
  • Sorria;
  • Lembre-se do nome das pessoas;
  • Seja um bom ouvinte;
  • Fale sobre o que interessa a outra pessoa;
  • Faça as pessoas se sentirem importantes;
  • Reconheça seu erro; Não imponha opiniões, envolva as pessoas;
  • Veja as coisas do ponto de vista das outras pessoas;
  • Elogie as pessoas;
  • Não critique os erros, valorize os acertos;
  • Critique as ações, não as pessoas.

De acordo com Stephen Covey: “Capacidade inerente de escolher, desenvolver uma visão para nós mesmos, reescrever nossa vida, iniciar um novo hábito ou abandonar um antigo, perdoar alguém, pedir desculpas, fazer uma promessa e depois mantê-la, em qualquer área da vida é, sempre foi e sempre será um momento de verdade para cada um”.

Então, primordialmente é preciso ter percepção para tudo que está à volta para que se possa entender bem as situações e as pessoas, para então poder dedicar uma melhor maneira de tratar com tudo isso, sem que se tenha uma visão individualizada, mas tendo uma abrangência holística, de um todo, pois tudo nessa vida está interligado, tanto que um dia ruim pode refletir no comportamento com a família e uma situação familiar pode impedir o rendimento produtivo no trabalho ou nos estudos. O que se deve fazer é tentar entender as pessoas e não esperar ser entendido, é tentar descobrir qual a melhor forma de tratar alguém e não dizer como quer ser tratado, é agir educadamente, cordialmente, gentilmente e na prática, isso significa dar a vez, ceder a cadeira, juntar o que caiu, agradecer, oferecer ajuda, enfim, tratar bem o próximo e com isso o resultado é brilhante, basta tentar! O reconhecimento, o respeito, a educação, a gentileza volta, tudo da mesma forma que foi oferecido, sem precisar “exigir respeito”! As pessoas não são erradas por cometerem erros, no entanto, se foram criadas em um meio hostil, com toda certeza necessitam de aprendizado, mas não é hostilizando quem hostiliza que se consegue ensinar! Aquele que mais dispensa um mau tratamento ao outro, é o que mais precisa ser bem tratado, pois assim, estará aprendendo. Todas as pessoas são vítimas e culpados. Vitimas por terem sido criadas em um ambiente do qual não se poderia mudar, mas culpadas por após aprenderem o bom tratamento não colocá-lo em prática!

Essa é a razão pela qual existe a máxima que diz “é dando que se recebe”, então antes de esperar que seja respeitado, deve-se oferecer respeito, assim, as pessoas que estão ao redor “aparentemente” irão melhorar, no entanto, foi quem doou e quem educadamente tratou quem proporcionou esse novo ambiente.

fonte: http://www.duarteoliveira.adv.br/artigos/22/relacionamento-interpessoal

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Emoções com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s